Primeiro passo de todo projeto de DI: Defina objetivos claros

Os méto­dos de Design Instru­cional ofer­e­cem mapas para que um pro­grama de apren­diza­gem seja bem suce­dido, mas você pre­cisa saber aonde quer chegar

Quando um cliente iden­ti­fica a neces­si­dade de um treina­mento, ele nor­mal­mente espera que o designer instru­cional se pre­ocupe com diver­sas decisões; como a duração do pro­grama, o escopo do con­teúdo e a estraté­gia de avali­ação de resul­ta­dos. No entanto, todas as decisões a serem tomadas depen­dem de quais são os obje­tivos esper­a­dos. Obje­tivos são declar­ações que especi­fi­cam o que deve acon­te­cer após a con­clusão do pro­grama. Decidir entre um curso online ou pres­en­cial, por exem­plo, só é pos­sível quando se sabe clara­mente o que pre­cisa ser apren­dido e de que forma o apren­dizado será uti­lizado na vida real. É por isso que, quanto mel­hor definidos os obje­tivos, mel­hores serão os resul­ta­dos do trabalho.

Objetivos SMARTEm muitos casos, ainda que exista uma definição de obje­tivos, essa ativi­dade é feita rap­i­da­mente e sem muita dis­cussão: nosso obje­tivo é vender mais, fornecer um mel­hor atendi­mento ao cliente, ou escr­ever pro­postas mais efi­cientes. A mesma falta de cuidado acon­tece no momento de apre­sen­tar os obje­tivos no iní­cio de um treina­mento, curso ou aula. Para muitos, esse momento é con­sid­er­ado uma for­mal­i­dade, algo que temos que fazer porque é o costume.

O processo de definição dos obje­tivos pode evi­tar uma série de erros. Um treina­mento pode não ser a solução para o prob­lema apre­sen­tado pelo cliente. Ou ainda, um treina­mento pode ser muito bem suce­dido, mas esse sucesso não apare­cer por não estar rela­cionado com os obje­tivos especificados.

Tes­tando a eficá­cia dos obje­tivos de aprendizagem

A metodolo­gia de gestão de pro­je­tos ensina que obje­tivos são bem definidos quando aten­dem os cinco req­ui­si­tos abre­vi­a­dos por SMART (spe­cific, men­su­rable, attain­able, real­is­tic, timely). Como exem­plo, vamos imag­i­nar um curso de inglês com duração de 20 horas e ten­tar mel­ho­rar a qual­i­dade da definição de objetivos:

Exata­mente o que você quer dizer?

A maio­ria dos cur­sos de inglês tem como obje­tivo “Mel­ho­rar o con­hec­i­mento do aluno em inglês”. Mas usar essa frase como obje­tivo do curso, não é uma boa idéia. Para algu­mas pes­soas “mel­ho­rar” pode sig­nificar saber mais vocab­ulário, enquanto para out­ras pode sig­nificar usar o idioma com mais fluên­cia, mais nat­u­ral­i­dade. É pre­ciso ser mais especí­fico, esta­mos ten­tando mel­ho­rar a escrita, a fala, ou a com­preen­são? Um mesmo curso pode ter mais de um obje­tivo, mas eles devem ser descritos separadamente.

É pos­sível medir resultados?

Ser especí­fico é ape­nas o primeiro passo para definição de obje­tivos, o segundo passo é ado­tar critérios men­su­ráveis. Em nosso exem­plo, podemos sele­cionar a escrita como foco do curso. Mas não basta definir como obje­tivo “Mel­ho­rar a escrita em inglês”, deve­mos especi­ficar obje­tivos que pos­sam ser medi­dos, como por exem­plo: “Reduzir a quan­ti­dade de erros gra­mat­i­cais em redações”.

Esse obje­tivo é alcançável?

Quando falamos em redução de erros, ou recla­mações de clientes, muitos gestores são rápi­dos em respon­der: Quer­e­mos zero erros, ou zero recla­mações. É papel do Designer Instru­cional ques­tionar se esse é um obje­tivo alcançável. No caso do nosso curso, por exem­plo,  não se pode esperar que um aluno inter­mediário, faça um curso de 20 horas e não cometa mais nen­hum tipo de erro. É pre­ciso avaliar o nível do aluno e definir um obje­tivo alcançável, como “Reduzir a quan­ti­dade de erros gra­mat­i­cais em redações em 10%”.

Esse obje­tivo é realista?

Esse critério pode se con­fundir um pouco com o ante­rior. Um obje­tivo pode ser alcançável, ou seja, dadas as condições necessárias ele pode ser atingido. Ainda assim, esse obje­tivo pode não ser real­ista, ou seja, as condições necessárias não são prováveis. Ler um livro por sem­ana é um obje­tivo alcançável para uma pes­soa alfa­bet­i­zada que con­segue ler com uma veloci­dade média, mas se essa pes­soa tra­balha o dia todo, passa horas no trân­sito, é respon­sável por cuidar de cri­anças quando chega em casa, esse não é um obje­tivo real­ista para ela. Quando con­sid­er­amos obje­tivos, pre­cisamos avaliar a o contexto.

Qual o prazo para obser­var resultados?

Final­mente, não se pode con­cluir se o obje­tivo de um treina­mento ou curso foi alcançado sem um prazo. Todo pro­grama de Design Instru­cional deve ter uma data para que os resul­ta­dos sejam medi­dos e avali­a­dos. Esse período vai variar con­forme o tipo de com­petên­cia a ser avali­ada, mas sem­pre deve ser determinado.

Palavras finais: Definir obje­tivos claros pode ser um pouco intim­i­dante. Existe uma inse­gu­rança de que os obje­tivos não sejam alcança­dos e isso gere críti­cas ao pro­grama. Mas somente com transparên­cia o Design Instru­cional vai rece­ber o val­oriza­ção do negó­cio, seja ele uma empresa ou uma insti­tu­ição de ensino. Mel­hor do que se escon­der atrás de obje­tivos vagos é estar pronto para dis­cu­tir o que pode ser mudado para que os pro­gra­mas sejam mais efetivos.

Refer­ên­cias

Beebe, S.A., Mot­tet T.P, Roach D.K. (2003) Train­ing and Devel­op­ment Enhanc­ing Com­mu­ni­ca­tion and Lead­er­ship Skills. Pearson

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>